Buscar
  • ecogrella

Pedalar Sempre! Faz parte da Solução.





Uma das maiores invenções e engenhocas construídas durante a história do ser humano na terra, é na atualidade, considerado algo nocivo para a saúde física, social, mental e ambiental do mesmo. Principalmente aqueles que vivem em grandes centros urbanos ao redor do mundo... Pois é, a utilização desenfreada do bom e velho carro passou a fazer mal ao seu inventor.


O alarmante para esse desequilíbrio começou há 25 anos, na França, quando no dia 22 de setembro de 1997, o país celebrou o primeiro “Dia Mundial Sem Carro”. A partir daí outros países passaram a aderir a data, em prol da mobilidade urbana e um meio de transporte menos poluente. No Brasil, foi em 2001 que os movimentos ambientalistas e ciclo ativistas colocam em prática o “Dia Mundial Sem Carro”, com o intuito de promover incentivos para que as pessoas utilizem a bicicleta como forma de locomoção.


Nada contra datas comemorativas e movimentos que incentivem o uso da bicicleta como forma de deslocamento nas cidades, mas o símbolo da mobilidade sustentável e alternativa ainda é utópico no Brasil. Mesmo sabendo de todos os benefícios pessoais e ambientais, é difícil para uma pessoa ou qualquer profissional de perfil influenciador incentivar o uso da bicicleta como forma de transporte, saúde e lazer em um país cujo trânsito mata cerca de 32 mil pessoas por ano e mutila de 200 mil à 500 mil pessoas por ano. Para um empresário que atua no Brasil, é mais difícil ainda fornecer incentivos para o uso da bicicleta entre seus funcionários, já que qualquer eventualidade ocorrida no trajeto percorrido entre a residência e o local de trabalho do empregado é responsabilidade do empregador.


Em prática, o serviço de transporte público sustentável e alternativo não é amplificado de forma eficaz, porque ele move outros montantes que também são necessários para a existência de outras pessoas. Veja, o problema não está nos carros, nem nos mecânicos, nem nos revendedores de peças de carro. O carro por si só é para trazer comodidade, algo bom, benéfico para a sociedade. O problema está na utilização desenfreada do carro, em acreditarmos que a vida é impossível sem um carro, em vivermos em lugares que são cercados por carros movidos à combustão apenas. É no desequilíbrio que reside o problema de locomoção e acessibilidade nas vias de transporte no Brasil.


Muitas cidades Brasileiras não fornecem meios alternativos e compartilhados de deslocamento, então o cidadão que caminha, que pedala, que utiliza a cadeira de rodas ou qualquer outro item de assistência à locomoção, que faz uso do transporte público, que patina, que anda de skate e de patinete continua sendo massacrado por uma massa que ele(a) mesmo faz parte. Isso acontece, porque o ser humano passou a depender do carro e construiu uma sociedade para ele. Ninguém muda um paradigma em 24 horas... levam-se gerações para que ocorram transformações. E com a utilização desenfreada do carro não será diferente.


O equilíbrio se constrói em ações diárias, conscientes, em correr o risco. O transporte público não será reestruturado apenas com datas comemorativas e eventos segregados. É no dia-à-dia, é no pedalar (ou usar outro meio de locomoção alternativo) sempre que se constrói um sistema de transporte mais saudável e acessível para nossa própria espécie.


Ecogrella




28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo